3D em 2009

06/01/2009 | Categoria: Blog

Ausência de filmes decentes no formato prejudica exibições em 3D em Pernambuco

Por: Rodrigo Carreiro

Quando a sala de projeção digital em 3D do Box Guararapes abriu as portas, em outubro do ano passado, muitos leitores comentaram a satisfação que sentiam por Pernambuco estar entrando com rapidez na nova era do cinema em três dimensões.

Dois meses depois, o entusiasmo já arrefeceu. Nem tanto pelo equipamento – que andou dando problemas, com sessões canceladas pela metade e dinheiro de volta para toda a platéia – mas principalmente pela péssima qualidade dos filmes que têm chegado e que utilizam esta tecnologia inovadora.

A pergunta é simples: para quê ter um sistema de projeção de alto nível, se não existem filmes decentes para aproveitar essas condições tecnológicas?

O filme que lançou o 3D digital por aqui foi um espetáculo do U2 (legal, e só isso). Para as crianças, tinha a animação “Os Mosconautas no Mundo da Lua” (engraçadinha, e só isso). De lá para cá, a situação piorou bastante. Teve até um tal de “Scar 3D”, uma coisa horrorosa que nem quero chamar de filme.

Pois bem: em 2009, a situação promete melhorar.

Aliás, já melhorou, com a estréia de “Bolt 3D”. A animação recebeu boas críticas (lá em casa, minha mulher e filhas adoraram – eu não vi).

Em fevereiro, tem “Coraline”, baseado num conto sombrio de Neil Gaiman. “A Era do Gelo 3” chega em julho. “Up”, novo da Pixar, aparece em setembro. O primeiro e inesquecível “Toy Story” ganha relançamento no formato, em outubro.

E todos eles abrem espaço para “Avatar”, primeiro longa em que James Cameron realmente arregaçou as mangas desde “Titanic”, e que chega em 18 de dezembro. Muita gente encara esse projeto como o filme que vai fazer o 3D digital realmente decolar.

Até lá, muita água (e muitos filmes ruins) deve rolar.

| Mais

Assine os feeds dos comentários deste texto


6 comentários
Comente! »