Ajuste editorial

11/12/2008 | Categoria: Blog

Projeto do Cine Repórter para 2009 inclui mais destaques para filmes antigos e desconhecidos, mais videocasts e podcasts

Por: Rodrigo Carreiro

Após um longo e tenebroso hiato, eis que tive um tempinho livre nos últimos dois dias e finalizei um podcast e um videocast. No primeiro caso, precisei de só 20 minutos para cortar alguns trechos redundantes e mixar música com voz. Quanto ao videocast, não foi apenas o mais longo de todos os que já gravei, mas também o mais rápido, já que fiz tudo (gravação, edição e conversão de formato) em cerca de três horas. Estou evoluindo.

Outra observação importante: não sei se são muitos os leitores que estão acessando a página do Cine Repórter no Twitter (não consigo contar a audiência), mas a experiência tem sido interessante e curiosa para mim. Todos os dias, sempre posto alguns recadinhos por lá. O serviço realmente dá conta do recado, principalmente para avisar aos leitores mais impacientes sobre novos lançamentos ou atualizações. Acessem. Para facilitar, incluí um link para o serviço no menu principal do site.

Outro detalhe interessante que a análise das estatísticas do site mostra é a acentuada preferência dos leitores por textos sobre filmes que não se enquadram nas categorias de lançamentos (seja nos cinemas ou em DVD). Mais de 70% das páginas impressas em novembro continham críticas de filmes antigos.

Este é um dado realmente animador, porque – confesso – a qualidade duvidosa da maior parte dos filmes que chegam aos cinemas do Recife tem me afastado cada vez mais das críticas factuais. Foi com base nessa estatística, por exemplo, que me atrevi a colocar o videocast de “Tubarão” na principal chamada do site, um espaço que outrora estava sempre reservado ao filme mais popular em cartaz nos cinemas.

Por tudo isso, já dá para adiantar que um dos principais projetos para 2009 consiste em realizar um ajuste gradual no projeto editorial do Cine Repórter. Pouco a pouco, vocês perceberão, a linha editorial vai se afastar do factual. Critérios jornalísticos não serão 100% prioritários, como antes.

Também pretendo escrever um menor número de críticas, mas passando a caprichar mais nas análises – em outras palavras, menos textos, só que mais longos e mais densos. O número de videocasts e podcasts (principalmente os primeiros), espero, também irá crescer.

Não me entendam mal. Não pretendo passar a escrever apenas sobre filmes antigos e/ou inacessíveis. Os grandes lançamentos de 2009, como “Avatar”, “Watchmen” ou “O Hobbit”, serão cobertos com destaque aqui no site. Mas o espaço editorial dedicado a filmes menores e mais antigos vai crescer. E muito.

Tenho uma razão profissional, inclusive, para agir assim. Mas sobre isso eu só escreverei mais adiante.

| Mais

Assine os feeds dos comentários deste texto


16 comentários
Comente! »