Cine Repórter 2.0

23/09/2008 | Categoria: Blog

RSS, resenhas em vídeo e áudio, comentários livres: conheça as novidades do Cine Repórter

Por: Rodrigo Carreiro

Exatos cinco anos depois de entrar no ar, eis que o Cine Repórter chega à versão 2.0. Neste intervalo, o site passou por ajustes e alterações em seu projeto editorial. Na essência, porém, não mudou muita coisa. Só que o mundo mudou. Muito. A Internet, então, nem se fala.

Quando coloquei o Cine Repórter no ar, em setembro de 2003, não podia nem imaginar um fenômeno como o YouTube. A tecnologia RSS ainda não estava disponível. A explosão multimídia, calcada na expansão global da banda larga, ainda estava engatinhando.

Enquanto o tempo passava, ia ficando evidente que o site precisava passar por um grande upgrade tecnológico, a fim de incorporar as principais novidades que rodavam o mundo. Mas o modelo anterior era engessado. Para mudar uma coisinha qualquer, precisava mudar tudo. E isso era inviável.

A nova versão do Cine Repórter contém avanços espetaculares em relação ao site anterior. Possui tecnologia RSS, abre espaço para comentários livres dos leitores, tem um blog 100% integrado, um sistema de buscas interativo e a opção de compartilhar todos os conteúdos em bookmarks sociais.

Graças aos avanços tecnológicos, também pude criar novas seções multimídia. Esta é uma direção que me interessa, e que pretendo explorar bastante nos próximos meses. Podem esperar muito conteúdo nas categorias de Vídeos e Podcasts.

No primeiro caso, pelo menos uma vez por semana, pretendo gravar e editar uma pequena vídeo-resenha, de até três minutos. Os podcasts (arquivos de áudio em MP3, que vocês podem inclusive baixar para ouvir no player portátil, se assim desejarem) também serão disponibilizados pelo menos uma vez por semana.

Para o leitor, são avanços consideráveis. Você agora pode comentar qualquer texto, vídeo ou áudio, mandar para os amigos por e-mail, cadastrar em sites como Technorati e Del.ic.i.ous, ver vídeos exclusivos, gravar podcasts no iPod e até mesmo, se quiser, assinar o feed RSS de um único texto, para acompanhar qualquer debate que porventura seja aberto entre vocês, leitores, através dos comentários.

Para mim, os avanços são ainda maiores. O site foi inteiramente montado com a tecnologia WordPress, e isso significa que poderemos acompanhar instantaneamente qualquer inovação tecnológica que for surgindo na Internet. Se a Web possibilitar o envio automáticos de vídeos para sua TV digital, o Cine Repórter vai estar nessa. Nada de esperar mais cinco anos. O WordPress permite, através da instalação de plugins, a criação de novas funções dentro do site, de maneira quase automática.

Do ponto de vista gráfico, procurei tornar o Cine Repórter um site mais limpo, mais arejado, mais simples de navegar e fácil de ler. Depois de três meses de trabalho duro, é um orgulho e uma satisfação poder colocá-lo no ar.

Escrevam, opinem, critiquem, comentem e divulguem. Prometo que vou ler tudo o que vocês escreverem nos comentários (sim, eles caem automaticamente na minha caixa de e-mails) e, na medida do possível, responder.

Nesta etapa inicial de implantação, é bem possível que vocês se deparem com pequenos erros de navegabilidade, links quebrados, coisas funcionando mal, textos em inglês ou incompreensíveis. Podem me avisar sobre isso postando nos comentários. Estarão me fazendo um favor.

Por fim, queria deixar público um elogio ao pessoal da Wenetus Interactive (principalmente ao Rodrigo Muniz), a empresa pernambucana que concretizou minha lista infindável de necessidades em um site.

E um agradecimento todo especial ao programador Saulo Benigno, cuja ajuda e incentivo foram inestimáveis para o resultado alcançado. Perdi a conta de quantas noites perdemos na frente do computador, navegando e corrigindo coisinhas interminavelmente, e trocando e-mails cheios de empolgação.

Aliás, Saulo não é só um programador de talento, mas também um leitor antigo e fiel. Há dois anos ele tentava me convencer a fazer esse upgrade, e por muito tempo eu resisti. Se não fosse a tenacidade dele, talvez a versão 2.0 fosse demorar bem mais para sair. E olha que neste momento – bem agora! – ele deve estar trabalhando, invisível, para corrigir mais erros e melhorar coisas que pareciam estar perfeitas. O cara não cansa nunca (aliás, se algum leitor precisar de serviços de profissionais de Web que lidem com sites, recomendo todos – os contatos de ambos podem ser encontrados na seção Quem faz o site).

É isso. Espero que gostem.

| Mais
Tags:

Assine os feeds dos comentários deste texto


17 comentários
Comente! »