Filmes raros

17/08/2004 | Categoria: Blog

Sabe por que você encontra aqui tantas críticas de DVDs antigos e importados?

Por: Rodrigo Carreiro

Quem acompanha o Cine Repórter com regularidade já deve ter percebido um detalhe curioso a respeito das atualizações diárias que ocorrem no site: as críticas de DVDs, que tenho escrito com mais abundância, nem sempre são de lançamentos. Com freqüência, tenho atualizado a seção postando resenhas de filmes mais antigos. Alguns deles (cito como exemplos “A Tortura do Medo”, de Michael Powell, e “Sob o Domínio do Medo”, de Sam Peckinpah) nem foram lançados no Brasil.

Por que faço isso? Minha razão é simples. Grande parte dos lançamentos de DVD ocorridos no Brasil segue a seguinte “janela”: de quatro a seis meses depois de passarem nos cinemas, os filmes começam a chegar ao mercado de home video. Como normalmente eu já assisti e escrevi sobre esses filmes quando da passagem pelos cinemas, faço uma revisão do texto e o troco de seção (ele passa de “Críticas” para “DVD”). Algumas vezes até altero a nota ou faço revisões mais longas nos textos; reservo-me o direito de revisar os textos sempre que achar necessário, embora ainda não tenha ocorrido nenhum caso de filme que eu tenha realmente mudado de opinião.

Já escrevi antes, nesta mesma seção, que nunca foi minha intenção fazer uma crítica profunda dos aspectos técnicos dos DVDs. Há bons sites que fazem isso, nacionais e estrangeiros. Eles analisam a qualidade da transferência da imagem para o formato doméstico, a qualidade de graves e agudos das trilhas de áudio, avaliam os documentários. Não faço isso. Não é minha especialidade. A rigor, esse tipo de crítica não me interessa. Prefiro avaliar os filmes com mais profundidade e me limitar a descrever, fazendo às vezes pequenas resenhas críticas, esses aspectos técnicos dos discos.

Dessa forma, quando os filmes saem em DVD, suas respectivas críticas muitas vezes já estão publicadas no Cine Repórter. Para manter a média de publicações semanais de críticas – são pelo menos quatro a cada sete dias – recorro a DVDs de filmes mais antigos. Gosto de acreditar que o leitor pode encontrar, no Cine Repórter, um banco de dados amplo e diversificado, para consultar quando tiver que ir à locadora ou à loja de DVDs.

Outra intenção é compartilhar com o leitor minhas pequenas descobertas. Filmes desconhecidos, importados ou inéditos no Brasil estão, atualmente, disponíveis através das boas lojas de vendas online. É fácil encontrar essas obras, muitas vezes por preços acessíveis. Já descobri muitos filmes legais dessa forma (“eXistenZ”) e acho importante que o leitor do Cine Repórter também possa ter, no site, uma fonte confiável de avaliação de filmes importados. Conheço muita gente que compra esses filmes, às vezes no escuro, sem saber direito o que vai encontrar.

Não tem mistério, então: essa vai continuar sendo minha estratégia de atualização do Cine Repórter. Aqui, você vai encontrar em média três novas críticas de DVDs por semana. Quanto aos filmes em cartaz no cinema, normalmente você confere pelo menos uma crítica com antecipação.

É isso. Bola para a frente. Se alguém achar que meus critérios estão errados, basta me escrever. Vou ter o maior prazer em discuti-los com vocês.

| Mais

Assine os feeds dos comentários deste texto


1.248 comentários
Comente! »