O trenzinho WordPress

26/09/2008 | Categoria: Blog

O sistema Wordpress e seus plugins: o melhor trenzinho que um adulto pode ter

Por: Rodrigo Carreiro

Logo após fazer “Cidadão Kane” e rachar a história do Cinema em duas partes (mais ou menos como Cristo fez com o mundo ocidental), Orson Welles pronunciou uma frase que ficou famosa: “O Cinema é o melhor trenzinho de brinquedo que um adulto pode encontrar”.

Não consigo deixar de aplicar a sentença fascinada de Welles à minha obsessão atual com o WordPress. As opções que este sistema (gratuito e de código aberto) oferece, para quem topa se aventurar pelos mares desconhecidos da administração de blogs e sites, são ilimitadas.

Sempre que tenho uma idéia nova, pergunto a Saulo (o programador que está cuidando da versão 2.0) se é viável. Não me recordo de ter ouvido um único “não dá”. Tudo é possível, a quantidade e a qualidade dos plugins que existem por aí para WordPress é absolutamente espetacular.

Quem um exemplo? Uma das maiores dificuldades da indexação do banco de dados antigo era a colocação de tags em todos os 1.462 textos que estavam lá. Se fosse fazer um por um, eu levaria uns seis meses. Saulo instalou um plugin que permitia a colocação de tags em até 50 textos por página, sem precisar abrir crítica por crítica. Levei três dias para criar as tags. Saulo perdeu mais três colocando tudo no sistema. Uau.

Ontem, quando achei que tínhamos terminado de fazer todas as melhorias possíveis, ele pesquisou e encontrou um outro plugin que cria, automaticamente, links dentro de todos os textos do banco de dados, sempre que encontrar dentro desses textos uma palavra ou expressão que corresponda a uma tag ou ao nome de um filme. Uau. De novo.

Tenho dezenas de exemplos assim. Muitos plugins permitem que a gente acompanhe detalhadamente a navegação dos usuários dentro do Cine Repórter. Consigo saber quantos internautas estão dentro do site em tempo real, quais as páginas mais visitadas, as expressões mais buscadas (tanto dentro do site quanto em sistemas como Google e Yahoo!), os browsers que os usuários estão usando e até os links atualizados de outros sites ou blogs que criaram links para o Cine Repórter.

Sei quantas pessoas assinam cada feed de RSS. Um plugin que roda de modo invisível aumenta a segurança do sistema contra invasões. O sistema registra até mesmo o IP dos autores dos comentários. Caso alguém resolva partir para a agressão gratuita usando o anonimato para se proteger, é bom saber que o sistema terá registrado o IP usado no acesso. E isso é só a ponta do iceberg. S eu fosse listar todos os benefícios e melhorias que o WordPress e seus plugins têm feito ao Cine Repórter, jamais terminaria de escrever este post. É um mundo totalmente novo que se abre.

Para não dizer que tudo é perfeito, o WordPress tem um calcanhar de Aquiles: o sistema de busca. Nos testes anteriores, usando a busca original, pesquisei “Psicose” e o texto do filme de Hitchcock apareceu na terceira página. Horrível. Falei com Saulo e ele instalou o plugin mais eficiente que substituiu a busca original. Melhorou muito. Mesmo assim, alguns usuários já reclamaram, nos três dias em que estamos on line.

Ainda vamos estudar com carinho algumas opções. Uma delas é utilizar o Google como buscador oficial do site. O Google inclusive paga ao dono do site (eu, no caso) se a gente adotar essa opção. Mas há um problema: o Google não indexa automaticamente as novas atualizações. Se eu publico um texto, pode demorar alguns dias até que ele seja indexado e comece a aparecer nas buscas. A vantagem é que a busca do Google não exige nada do servidor de hospedagem.

De qualquer forma, amigos, fiquem tranqüilos. Vocês podem não estar vendo, mas neste momento estamos estudando para tornar a navegação e a localização de informações mais prática, mais rápida e mais fácil.

A melhor de todas as novidades do WordPress é que o sistema é, além de gratuito, 100% atualizável. Não precisarei mais esperar cinco anos para fazer um novo upgrade no Cine Repórter. Sempre que surgir um novo plugin, a melhoria de algum existente ou uma funcionalidade completamente nova, vamos incorporar ao Cine Repórter.

| Mais

Assine os feeds dos comentários deste texto


9 comentários
Comente! »