Advogado do Diabo, O

28/06/2004 | Categoria: Críticas

Thriller sobrenatural desenvolve comentários interessantes sobre o homem do século XX

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★★☆

Kevin Lomax (Keanu Reeves) é um jovem e ascendente advogado que jamais perdeu um caso. Após vencer no tribunal uma causa que parece impossível, Lomax recebe um convite irrecusável da mais importante firma de Direito do mundo, sediada em Nova York. O contrato parece bom demais para ser verdade: salário astronômico, apartamento gigantesco com vista para o Central Park e todas as mordomias imagináveis. O que Lomax vai descobrir, contudo, é que o misterioso dono da empresa, John Milton (Al Pacino), pode estar de olho em algo mais do que o talento de um advogado promissor.

O thriller “O Advogado do Diabo” (The Devil’s Advocate, EUA, 1997) insinua, a partir do título, um enredo sobrenatural. É fato: a presença de criaturas das trevas existe e domina a maior parte dos longos 144 minutos de duração da película. O cineasta Taylor Hackford não faz nenhuma questão de esconder isso. A maior pista está no nome do protagonista: John Milton, para quem não sabe, é o autor do clássico “O Paraíso Perdido”, romance que narra a maldição que se abateu sobre a raça humana após a tentação de Eva.

Por trás dos toques sobrenaturais, porém, há mais do que isso; há um interessante olhar sobre o materialismo do ser humano do século XX, um estudo sobre vaidade e poder, diluído em história de fantasmas e conduzido com pulso firme. “O Advogado do Diabo” é um filme de terror que funciona além da esfera de entretenimento puro. A história pode ser lida, na verdade, como uma releitura contemporânea da obra de Milton, o escritor: um conto de tonalidades fantásticas sobre o processo de corrupção da alma de um ser humano.

Hackford tem bons aliados. A fotografia de Andrzej Bartkowiak flagra uma Nova York decadente, poluída, suja e, ainda assim, fascinante. Os tons de terra avermelhados e dourados que dominam as imagens casam perfeitamente com a excelente direção de arte de Dennis Bradford. O imenso lar de John Milton, com seus enormes espaços abertos e decoração inspirada na arquitetura medieval, é o maior destaque do filme. Até mesmo a ambientação externa reforça essa sensação de solidão que emana das imagens: o Central Park no outono, cheio de folhas secas e vento forte, também rende uma imagem poderosa.

E há Al Pacino, claro. “O Advogado do Diabo” é um filme conduzido com cuidado rumo a um final apoteótico, praticamente um show solo do ator. Taylor Hackford dá ao longa-metragem o ritmo correto, envolvendo a platéia no mistério que cerca o protagonista e mesclando a progressão da história com alguns sustos. Faz isso, entranto, de olho na seqüência final, que captura um Pacino em forma, agarrado ao papel com unhas e dentes. Pacino grita ardentemente um fascinante discurso, explica a filosofia por trás do filme e oferece um exemplo de quão magnética pode ser a figura de um grande ator na Hollywood de fim de século.

Aliás, não é possível deixar de notar a semelhança temática entre o filme de Taylor Hackford e o brilhante “Crepúsculo dos Deuses”, do mestre Billy Wilder. O diretor austríaco, no entanto, fez um filme bem característico do seu estilo; sutil, Wilder criou um estudo monumental sobre a vaidade, travestido de parábola a respeito dos bastidores de Hollywood. Já Taylor Hackford preferiu colocar Al Pacino gritando suas verdades, em forma de filosofia popular, para o espectador. Um sinal dos tempos, talvez.

No finalzinho, “O Advogado do Diabo” conta ainda com um par de reviravoltas extravagantes. Nada que atrapalhe o brilho de um bom filme – e o encerramento, ao som da sensacional “Paint it Black”, dos Rolling Stones, é inesquecível. Vale acrescentar em o DVD da película é um lançamento da primeira geração da nova mídia. Isso significa que o disco vem sem documentários ou outros extras, que só se tornariam populares alguns meses depois. Mesmo assim, há um bônus interessante para quem já viu o longa antes: 25 minutos de cenas inéditas, integradas ao filme, com comentário em áudio do diretor. Vale a pena.

– O Advogado do Diabo (The Devil’s Advocate, EUA, 1997)
Direção: Taylor Hackford
Elenco: Al Pacino, Keanu Reeves, Charlize Theron, Connie Nielsen
Duração: 144 minutos

| Mais


Assine os feeds dos comentários deste texto


5 comentários
Comente! »