Chocolate – O Gosto da Obsessão

28/06/2006 | Categoria: Críticas

Mick Garris faz filme sobre homem solitário que desenvolve ligação inexplicável com uma desconhecida

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★½☆☆

Mick Garris está longe de ser um mestre do cinema de horror. O homem responsável pelo pouco recomendável “Psicose 4” e pela série de TV “O Iluminado” só ganhou a chance de participar da telessérie “Mestres do Terror” por ter sido o criador da dita cuja. Aliás, nesse detalhe mora uma outra qualidade da série: como chama a atenção de muita gente pela participação de nomes importantes do gênero, como Dario Argento e John Carpenter, a série dá oportunidade para diretores obscuros, como o próprio Garris, aparecerem para um público maior. O cineasta não desperdiçou a chance, escrevendo e dirigindo um dos episódios mais bacanas: “Chocolate – O Gosto da Obsessão” (EUA, 2005).

O argumento da história é simples e original, enfocando um homem que descobre possuir um inexplicável link emocional com uma mulher que nunca viu na vida. Essa ligação sobrenatural, aliás, se manifesta de maneira bizarra, como uma espécie de transe. O sujeito, que trabalha como criador de sabores artificiais para a indústria alimentícia (profissão incomum, não?), começa de repente a sentir cheiros, ouvir sons e ter visões que parecem sonhos acordados. Aos poucos, ele compreende o que está ocorrendo. É que sua consciência se transporta, de tempos em tempos, para dentro da mente de outra pessoa. Mais precisamente, para a cabeça de uma mulher que ele não conhece, e nem sabe onde mora.

A situação básica lembra um pouco o filme “Quero Ser John Malkovich” (1999), mas a trama não vai tão fundo na piração. O personagem chama-se Jamie (Henry Thomas, o garoto de “E.T.”) e é um homem solitário e meio melancólico. Separado da mulher, ele tem pouco tempo para ver o filho, vive de dieta e tem dificuldades com garotas. Em resumo, é um cara infeliz. Por isso, quando as experiências inexplicáveis começam a acontecer, ele não se apavora. Pelo contrário: começa a sentir uma irresistível atração pela situação, a ponto de se apaixonar pela mulher desconhecida, e começar a investigar, meio atabalhoadamente, para ver se consegue chegar até ela.

Mick Garris faz um bom trabalho na direção, considerando que a história não é fácil de narrar a partir de imagens (como exibir cheiros e sensações em um filme?). Ajuda bastante o fato de ele contar com o elenco mais experiente de toda a telessérie – Thomas tem uma atuação muito boa. Além disso, o roteiro é caprichado, incluindo pelo menos uma cena antológica, que se mostra um primor de humor negro: é quando Jamie entra em transe justamente no momento em que a garota misteriosa está fazendo sexo – uma transa bem masoquista, por sinal – com um homem de aparência ameaçadora. Para azar de Jamie, a bizarrice acontece exatamente na hora em que ele está com uma pretendente a namorada. É trágico e cômico ao mesmo tempo.

“Chocolate” é um dos vários episódios de “Mestres do Terror” que mostra a jornada de um homem comum tentando investigar uma situação inexplicável. A investigação de
Jamie, aliás, é uma das mais inteligentes de toda a série – a maneira que o rapaz encontra para tentar localizar a garota misteriosa é verdadeiramente original. A única derrapada do episódio é o final, que não consegue manter o nível de excitação do restante da história. Mesmo assim, é um dos melhores médias-metragens da telessérie.

O DVD brasileiro ganha lançamento pelas mãos da Paris Filmes. A qualidade geral é fraca. O disco é simples e traz o filme com o enquadramento original de imagem (letterbox 4:3, que preserva o formato 1.77:1), com áudio em dois canais (Dolby Digital 2.0). Como extra, um making of. A decepção é maior quando sabemos que a Anchor Bay preparou uma edição bem mais recheada para os Estados Unidos, trazendo o vídeo em formato wide anamórfico (que também preserva o enquadramento original e tem resolução melhor da imagem), som em seis canais (Dolby Digital 5.1) e uma série de extras, incluindo comentário em áudio do diretor, perfil do autor do filme, entrevistas com os atores e cenas cortadas.

– Chocolate – O Gosto da Obsessão (EUA, 2005)
Direção: Mick Garris
Elenco: Henry Thomas, Stacy Grant, Jake Smith, Paul Wu
Duração: 58 minutos

| Mais


Assine os feeds dos comentários deste texto


Um comentário
Comente! »