Código Da Vinci, O – Edição Estendida

11/12/2006 | Categoria: Críticas

Versão ampliada com 25 minutos extras aparece em DVD duplo no Brasil

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★☆☆

Um dos comentários recorrentes feitos por espectadores que assistiram nos cinemas ao thriller “O Código Da Vinci” (The Da Vinci Code, EUA, 2006) era que o filme parecia longo demais. Não apenas os críticos apontaram este detalhe como um problema, mas também parte da platéia, inclusive fãs do livro de Dan Brown, que inspirou o longa-metragem. Por isto, de certa forma é uma surpresa que o cineasta Ron Howard tenha voltado à sala de edição para acrescentar mais material à trama, de forma a lançar uma versão ampliada da história em DVD. A atitude faz a edição estendida ter um suspeito espectro caça-níqueis.

Cabe aqui um parêntese para algumas informações contextualizadas. A febre das chamadas “edições estendidas” nasceu nos Estados Unidos a partir de 2001, com a trilogia “O Senhor dos Anéis”, de Peter Jackson. O enorme sucesso de vendas das caixas com versões ampliadas dos três filmes abriu os olhos dos grandes estúdios para uma oportunidade extra de faturamento: bastava acrescentar, a custo baixíssimo, alguns minutos de cenas eliminadas após o primeiro corte do filme, que quase sempre inclui todo o material filmado – uma rotina em grandes produções – e voilá: mais uma forma de arrancar algum dinheiro extra dos fãs.

No caso específico de “O Senhor dos Anéis”, havia uma razão artística, não-comercial, para a existência dessas edições maiores. É que o diretor não estava satisfeito com os cortes que fora obrigado a fazer para poder exibir os filmes nos cinemas com a duração girando em torno das três horas (para cada longa). Desta forma, antes mesmo de lançar as produções, Jackson já anunciava aos quatro ventos que acrescentaria novas cenas quando chegasse a hora de criar os DVDs. Quem já teve oportunidade de conferir as versões ampliadas dos três exemplares da trilogia pôde se certificar de que a história ganhou mais densidade e um nível suplementar de detalhes (em particular o segundo filme, “As Duas Torres”).

Voltamos, então, a “O Código Da Vinci”. Uma mera olhada na estratégia de marketing da Sony (estúdio que produziu a obra) para lançar a edição estendida diz muito coisa. O filme ampliado, com 25 minutos de cenas a mais, começou a ser lançado nas regiões periféricas do planeta. Ásia, América Latina e pequenos países europeus tiveram acesso ao DVD especial antes que o lançamento fosse sequer anunciado nos maiores mercados, como Estados Unidos, Inglaterra e França. Há uma razão para isto, e ela é financeira: a Sony queria testar a receptividade – comercial e artística – da nova edição, antes de jogá-la aos verdadeiros leões. Portanto, mais um motivo para o espectador desconfie das intenções deste lançamento.

Isso posto, vamos ao que interessa realmente: há alguma diferença significativa entre a versão vista nos cinemas (149 minutos) e esta versão estendida (174 minutos)? A resposta é não. Tendo visto “O Código Da Vinci” na telona por duas vezes, em 2006, posso dizer tranqüilamente que não percebi nenhum acontecimento que estava no livro de Dan Brown, foi cortado para a exibição nas salas de projeção e retornou à história em DVD. A maior parte dos acréscimos feitos por Ron Howard não são cenas inéditas, mas enxertos (ou seja, diálogos a mais) em seqüências que já existiam. Trechos ausentes que os fãs mais exaltados gostariam ver no filme (o terceiro e último enigma, a visita à biblioteca em Londres) continuam de fora, pois não foram filmados. “O Código Da Vinci” não ficou mais inteligente ou mais empolgante por ganhar mais tempo de projeção.

Vale observar, também, que os colecionadores de DVD brasileiros não terão acesso à versão de cinema do filme de Ron Howard, pelo menos do modo como foi projetada. A edição de 149 minutos foi lançada direto para locadoras, mas com um defeito grave: imagem fullscreen (ou seja, com cortes laterais que mutilam a fotografia original). Se você quiser conferir o longa-metragem com os enquadramentos corretos, terá que se submeter à edição estendida. Ela é a única que vai ser comercializada diretamente aos consumidores, em um DVD duplo de boa qualidade. O primeiro lote do produto reserva uma surpresinha extra aos fãs: um terceiro disco, com alguns extras suplementares.

A caixa original vem em embalagem digipack, com uma luva de papelão. O disco 1 traz apenas o filme, com boa qualidade de imagem (widescreen 2.40:1 anamórfica) e som (Dolby Digital 5.1). Uma rápida introdução confirma o início da pré-produção de “Angels & Demons”, outra aventura de Robert Langdon que será transformada em filme pelo mesmo time. A lamentar, apenas, a ausência da trilha no formato de áudio DTS, superior, que foi incluída no mesmo DVD lançado na Coréia. O disco 2 é dedicado aos extras: são onze featurettes, cobrindo aspectos diferentes dos bastidores das filmagens em cerca de 100 minutos. Os principais envolvidos na produção – Ron Howard, Dan Brown, o produtor Brian Grazer e todo o elenco – aparecem em entrevistas triviais. A maior parte dos featurettes mostra aspectos bem conhecidos das filmagens: o primeiro dia, a escalação dos atores, as gravações no Louvre.

O público brasileiro recebeu, ainda, um terceiro disco, que vem encartado em uma embalagem diferente. Este CD extra traz quatro featurettes que juntos têm 34 minutos de duração. Na verdade, são sobras do material editado para o disco 2 do DVD oficial duplo. Curiosamente, dois desses featurettes são mais interessantes do que os extras escolhidos para o disco principal. Um deles detalha a construção minuciosa dos objetos cênicos importantes, como o críptex de mármore e latão e a chave high tech do banco suíço. O outro mostra os artistas visuais da produção pintando cópias de nada menos que 140 pinturas do Louvre (entre elas a Mona Lisa e alguns quadros de Caravaggio) para enfeitar uma ala falsa do museu, construída em estúdio para as gravações da longa seqüência inicial. Detalhe importante: todo o material extra tem legendas em português.

– O Código Da Vinci – Edição Estendida (The Da Vinci Code, EUA, 2006)
Direção: Ron Howard
Elenco: Tom Hanks, Audrey Tautou, Ian McKellen, Paul Bettany
Duração: 174 minutos

| Mais
Tags:


Assine os feeds dos comentários deste texto


Um comentário
Comente! »