Crimes e Pecados

25/02/2007 | Categoria: Críticas

Woody Allen une em filme úncio duas tramas distintas sobre adultério, culpa e insegurança sexual

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★★☆

Boa parte dos maiores especialistas na obra de Woody Allen considera “Crimes e Pecados” (Crimes and Misdemeanors, EUA, 1989) a última das obras-primas que o cineasta nova-iorquino assinou durante a longa e brilhante carreira. Examinado dentro do contexto da época em que foi lançado originalmente nos cinemas, este julgamento faz sentido. Após a poeira baixar, contudo, percebe-se que ele mostra um otimismo algo excessivo, embora o filme seja bom e realize um tratamento cuidadoso de dois temas recorrentes na filmografia de Allen, a culpa e a insegurança sexual.

A verdade é que em 1989, quando a película estreou, os fãs de Woody Allen andavam se sentindo meio órfãos do cinema cômico que sempre representou a faceta mais amada do diretor. Havia alguns anos que Woody militava em filmes mais densos, mais psicológicos, profundamente influenciados pelo ídolo sueco Ingmar Bergman. Era um comediante deixando o humor de lado. Sendo assim, “Crimes e Pecados” foi saudado como um retorno de Allen à comédia, algo que o filme é, e ao mesmo tempo não é. De fato, “Crimes e Pecados” é uma tentativa evidente de unir, através de duas histórias de adultério bem diferentes em atmosfera, as duas facetas mais conhecidas do cineasta: o cômico e o psicólogo.

A primeira história, que possui mais tempo de tela, tem como protagonista o oftalmologista Judah Rosenthal (Martin Landau). Homem respeitado como uma das maiores autoridades da profissão, ele vem enfrentando uma grave crise pessoal devido às ameaças da amante Dolores (Anjelica Huston). Cansada dos sete anos de promessas não-cumpridas, a mulher vem pressionando o médico a assumir o romance, o que significa um penoso divórcio pelo qual ele não quer passar. É uma situação extrema, e Judah só consegue pensar em duas saídas para ela: a separação – o que significa ter a carreira e a família destruídas – ou o assassinato.

Trata-se de um ótimo estudo de personagem corroído pela culpa. Uma variação deste conto retornaria à obra de Woody Allen muitos anos depois, depois, na forma de um longa-metragem inteiro, “Match Point” (2005). Aqui, o que o diretor nova-iorquino oferece é um retrato febril e causticante da angústia de um homem, frente a uma encruzilhada que, seja qual for o caminho escolhido, promete deixar uma marca profunda e perpétua na sua vida. Não há humor nesta narrativa, e a fotografia do sueco Sven Nykvist (fotógrafo de Ingmar Bergman, diretor predileto de Allen) carrega em tonalidades escuras e sombrias, como que enfatizando o estado de espírito do protagonista.

A segunda história, narrada em paralelo, também mergulha em uma alma atormentada, mas adota um tom leve e cômico, típico dos grandes trabalhos do autor. É uma história sobre Cliff (Allen), diretor de documentários que tenta financiamento para concluir um filme sobre um velho filósofo. Com o casamento em crise, ele se apaixona perdidamente por Halley (Mia Farrow), produtora com quem está trabalhando num aborrecido episódio televisivo sobre a vida de um famoso executivo de TV (Alan Alda). Há um triângulo amoroso, como no conto anterior, mas aqui o tema principal é a insegurança sexual, pois não há culpa em Cliff.

O segmento cômico oferece um contraponto perfeito à outra narrativa; é a luz depois da sombra, a calmaria após a tempestade. Em resumo, “Crimes e Pecados” reúne dois ótimos contos independentes. O grande problema do filme é que eles são tão independentes que parecem pertencer a filmes diferentes. Nem mesmo a seqüência final, em que Woody Allen procura alinhavar as duas histórias através de um encontro entre os dois protagonistas, passa à platéia uma sensação de unidade. Isso posto, é fato que “Crimes e Pecados” oferece uma larga fatia do melhor de Woody Allen.

O DVD simples da Fox tem apenas o filme, com boa qualidade de imagem (widescreen 1.85:1 anamórfica) e som razoável (Dolby Digital 2.0). Não há extras, como de praxe nos DVDs de filmes de Woody Allen.

– Crimes e Pecados (Crimes and Misdemeanors, EUA, 1989)
Direção: Woody Allen
Elenco: Martin Landau, Anjelica Huston, Woody Allen, Mia Farrow
Duração: 104 minutos

| Mais


Assine os feeds dos comentários deste texto


4 comentários
Comente! »