De Volta Para o Futuro 3

29/11/2006 | Categoria: Críticas

Terceira e última parte da famosa trilogia acrescenta faroeste à salada de gêneros da franquia

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★★☆

Nos dois primeiros exemplares da trilogia “De Volta para o Futuro”, o cineasta Robert Zemeckis comete um coquetel de gêneros para cinéfilo nenhum botar defeito – aventura, ficção científica, romance e comédia caminham lado a lado nos dois filmes. Para a terceira e última parte da franquia, “De Volta Para o Futuro 3” (Back to the Future – Part 3, 1990, EUA), o diretor deu um jeito de acrescentar ainda um outro gênero: o faroeste. O resultado final é um longa-metragem divertido e inteligente, que ousa sair um pouco da receita de sucesso estabelecida no filme de 1985, mas mantendo elos de ligação que fazem o filme manter um padrão reconhecível de narrativa e, ao mesmo tempo, soar como algo novo.

Numa comparação direta, “De Volta Para o Futuro 3” é um pouco melhor do que a Parte 2 e apenas ligeiramente inferior ao primeiro longa. A grande sacada da produção é abandonar por completo os cenários da Hill Valley de 1955, que já haviam dominado os outros dois exemplares da trilogia, e adotar uma ambientação inteiramente nova, inclusive com uma solução visual distinta – as tonalidades pastéis dominam a direção de fotografia, ao invés do azul metálico de antes. Além disso, Zemeckis investe de modo certeira em uma técnica de colagem de referência, enfiando no filme inúmeras referências – algumas óbvias, outras obscuras – aos westerns de John Ford, Sergio Leone e tantos outros especialistas no Velho Oeste.

A salada de citações, por si só, é uma espetáculo à parte para o cinéfilo. Zemeckis imagina a fictícia Hill Valley de 1885, para onde Marty McFly (Michael J. Fox) viaja no começo da aventura, como uma cidade em construção encravada bem no meio do Monument Valley, território seco onde John Ford filmou todos os seus grandes faroestes (“Rastros de Ódio” e “Nos Tempos das Diligências” entre eles). Quando chega a cidade, com a missão de resgatar o cientista Emmett “Doc” Brown (Christopher Lloyd), que lá fora parar por engano no final de “De Volta Para o Futuro 2”, Marty logo arruma confusão com um bando de pistoleiros enfezados, e tenta amedrontá-los se apresentando como… Clint Eastwood. Hilariante é pouco.

No decorrer da trama, que é mais romântica e leve do que a sombria Parte 2, Zemeckis brinca com um monte de clichês do faroeste. Põe a banda hard country ZZ Top para tocar em uma festa da cidade, por exemplo, e homenageia a famosa Trilogia dos Dólares de Sergio Leone com várias citações visuais – a primeira aparição do professor Brown; o manto marrom usado por Marty; a maneira criativa que ele encontra para escapar das balas de Mad Dog Tannen (Thomas F. Wilson), o vilão da história. Para quem gosta de ação desenfreada, o filme ainda reserva um epílogo longo e alucinante, fechando ainda uma situação do futuro que havia ficado pendente desde “De Volta Para o Futuro 2”.

Vale ressaltar que as partes 2 e 3 da trilogia foram filmadas simultaneamente, como forma de baratear os custos, e estrearam nos cinemas com um intervalo de seis meses entre elas. Se esta estratégia persegue originalidade, bem como a composição visual do filme, a narrativa busca pontos de contato freqüentes com os filmes anteriores, repetindo de forma criativa duas seqüências que, em diferentes circunstâncias, já haviam sido mostradas nos outros dois títulos: Marty acordando de um “pesadelo”, e a “atração” de Biff por esterco. Se isso não bastar para lhe convencer, saiba que “De Volta Para o Futuro 3” tem uma das piadas mais engraçadas de toda a trilogia, quando Marty é nada docilmente solicitado a dançar sob a mira de uma arma. Para gargalhar por vários minutos.

Em DVD, o filme pode ser encontrado de três maneiras: em disco simples vendido separadamente e como parte integrante de duas caixas, uma com três e outra com quatro CDs. Nos três casos, o disco contendo o longa-metragem é exatamente o mesmo: imagens límpidas no formato original (widescreen 1.85 anamórfico), áudio nos formatos Dolby Digital 5.1 e DTS, e muitos extras. Há featurettes da época do lançamento original, cenas cortadas, comentário em áudio de Robert Zemeckis (diretor) e Bob Gale (roteirista), mais trailer, além da terceira e última parte de um documentário atual (15 minutos) sobre a trilogia.

A caixinha de três discos apenas reúne os três discos individuais num pacote único. Já a caixa de quatro discos, em embalagem digipack de luxo, vem com um disco a mais, apenas de material extra. O melhor deles referente ao terceiro filme da trilogia é um bate-papo com Zemeckis e Gale (30 minutos), apenas em áudio e com legendas em português, onde eles detalham em profundidade a concepção do longa.

– De Volta Para o Futuro 3 (Back to the Future – Part 3, 1990, EUA)
Direção: Robert Zemeckis
Elenco: Michael J. Fox, Christopher Lloyd, Thomas F. Wilson, Lea Thompson
Duração: 118 minutos

| Mais


Assine os feeds dos comentários deste texto


Um comentário
Comente! »