Festival Carlitos – Os curtas

16/05/2005 | Categoria: Críticas

Sete curtas-metragens da fase áurea de Charles Chaplin ganham restauração e amplo material de bastidores

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★★☆

O disco duplo da Warner chamado “Festival Carlitos – Os Curtas” é um lançamento curioso e diferente no mercado nacional. Ele contém sete curtas-metragens de dois rolos lançados por Charlie Chaplin entre 1918 e 1923, quando era o comediante mais conhecido do planeta e maior responsável pelo crescimento avassalador do cinema como forma de arte popular. O que pouca gente sabe, e a distribuidora brasileira não informa claramente, é que três desses curtas foram relançados em 1959, pelo próprio Chaplin, como um único longa-metragem, chamado “The Chaplin Revue”.

Como muitos já sabem, em 1959 Chaplin não estava mais nos Estados Unidos, mas vivia no exílio. O criador do genial Vagabundo havia sido, anos antes, uma das vítimas do temido senador Joseph McCarty, que iniciou um período negro em Hollywood por acreditar, paranoicamente, que os comunistas estavam infiltrados entre as estrelas de cinema da época. Chaplin era um desses caras. Discriminado e perseguido pelos políticos, com a carreira em baixa devido à péssima recepção de crítica e público de projetos como “Monsieur Verdoux”, Chaplin foi morar na Suíça. Paradoxalmente, estava feliz, com a vida pessoal finalmente organizada.

Na Europa, ele começou a encenar um possível retorno de Carlitos. Chegou a trabalhar, com o crítico e amigo James Agee, em um roteiro que traria o Vagabundo para a era da corrida atômica e da Guerra Fria. Mas o texto não agradou e Chaplin preferiu se entregar a uma proposta ousada: reunir três de seus curtas favoritos, restaurá-los com cenas e trilha sonora inéditas, e lançá-los como um único filme longo. Ele fez isso com três dos mais celebrados lançamentos de sua fase para os estúdios First National: “Vida de Cachorro”, “Ombros/Armas” (os dois de 1918) e “Pastor de Almas”, uma espécie de curta duplo e ambicioso, de 1923.

Os três curtas ganharam uma introdução narrada por Chaplin, uma nova trilha sonora composta pelo artista e cenas verdadeiras da I Guerra Mundial (incluídas no segmento do meio, “Ombros Armas”, que flagra Carlitos nas trincheiras). No total, o filmão ficou com 112 minutos e foi recebido na Europa com certo sucesso. No DVD, eles podem ser vistos de uma só vez, como longa-metragem, ou aos pedaços, como foram pensados originalmente. O espectador decide. Esses três curtas estão no disco 1, junto com uma introdução de David Robinson (5 minutos) que contextualiza os filmes.

Imagens restauradas e trilha remixada em Dolby Digital 5.1, como nos demais filmes da Coleção Chaplin, fazem a festa dos admiradores. O pacote de extras no disco 1 ainda inclui uma longa cena (10 minutos) cortadas de “Ombros/Armas”, um documentário mudo que flagra Chaplin no estúdio (15 minutos), um curta-metragem beneficente (9 minutos), galerias de fotos e pôsteres e um trailer.

O disco 2 contém os demais quatro curtas feitos para o estúdio independente: “Clássicos Vadios”, “Dia de Prazer”, “Idílio Campestre” e “Dia de Pagamento”. Juntos, eles perfazem 98 minutos de projeção, e também podem ser vistos separadamente. Todos são ótimos exemplos do timing cômico absolutamente impecável do humorista, e servem como ensaios de luxo para os longas que ele faria na seqüência, a exemplo de “O Garoto” e “Luzes da Cidade”. Biscoito fino – e cheio de material extra.

Para começar, o biógrafo David Robinson comparece novamente (5 minutos) para explicar os filmes. Uma cena cortada (9 minutos) de “Idílio Campestre” foi restaurada para a coleção. Um série de sete featurettes (13 minutos) mostram Chaplin recebendo, em estúdio, personalidades famosas que queria conhecer o criador de Carlitos, a exemplo do príncipe Axel da Dinamarca e do comediante francês Max Linder. Um pequeno curta promocional (10 minutos), feito para arrecadar fundos beneficientes, acompanha um trailer e galerias de fotos e pôsteres. Enfim, um lançamento digno de grandes fãs de Chaplins e uma excelente introdução ao trabalho do comediante, para aqueles que não são familiarizados com ele.

– Festival Carlitos – Os Curtas (The Chaplin Revue, EUA, 1918 a 1923)
Direção: Charles Chaplin
Elenco: Charles Chaplin, Edna Purviance, Sidney Chaplin, Henry Bergman
Duração: 210 minutos

| Mais


Deixar comentário