Fora de Rumo

07/06/2006 | Categoria: Críticas

Primeira produção dos irmãos Weinstein fora da Miramax é um thriller insípido dirigido com mão pesada

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★☆☆☆

A melhor maneira de aproveitar os poucos atributos do thriller “Fora de Rumo” (Derailed, EUA, 2005) é assistir ao filme sabendo o mínimo possível do enredo. Como isso é quase impossível atualmente, já que os trailers exibidos em cinemas/DVDs e as incontáveis matérias em jornais, revistas e sites da Internet tratam de mastigar grande parte da trama dos filmes para o público, é grande a possibilidade de que a platéia antecipe, uma a uma, todas as reviravoltas do roteiro. A má notícia é que, se isso ocorrer, não basta culpa o marketing. “Fora de Rumo” é mesmo um thriller convencional e previsível, dirigido com mão pesada pelo sueco Mikael Håfström.

O longa-metragem busca inspiração na situação favorita do mestre Alfred Hitchcock: um homem comum, inocente e de boa índole, que de repente se vê envolvido em uma trama de chantagem, que o engole e muda sua vida da água para o vinho. Este homem, que narra o filme, é o publicitário Charles Schine (Clive Owen). Charles leva a vida no piloto automático. Tem uma filha adolescente que sofre de um tipo raro de diabetes, e por isso é obrigado a poupar cada centavo a fim de conseguir o dinheiro necessário para uma cirurgia bem-sucedida de rins. Seu casamento é frio. Ele não é feliz.

A rotina de Charles inclui pegar um trem, todos os dias, às 8h43. Certo dia, contudo, ele chega um minuto atrasado à estação – e sua vida muda por completo por causa deste minuto. É que no trem seguinte, ele conhece por acaso Lucinda Harris (Jennifer Aniston, do seriado “Friends”), uma executiva de vendas atraente que também vive um casamento infeliz. A atração mútua é evidente e não demora para que os dois estejam dividindo um quarto de motel. O problema é que, antes que qualquer coisa aconteça de fato entre os dois, um desconhecido (Vincent Cassel, ator francês de “Irreversível”) invade o hotel, rouba dinheiro e documentos de ambos e estupra Lucinda.

O que acontece, a partir daí, é uma série de reviravoltas e complicações que afundam Charles cada vez mais em um mar de mentiras e chantagens. Como já foi dito lá em cima, qualquer palavra a mais sobre o ocorrido pode estragar as surpresas que o filme reserva ao espectador. A má notícia é que o roteiro formulaico de Stuart Beattie transforma uma idéia interessante num emaranhado de clichês, já vistos antes em inúmeros filmes. Além disso, a direção equivocada de Håfström não cansa de telegrafar à platéia o que vem a seguir, de forma que cada nova reviravolta pode ser antecipada com pelo menos 10 minutos de antecedência.

Embora se espere muito de Clive Owen, que entrega aqui o primeiro trabalho cinematográfico após os elogiados “Closer” e “Sin City”, a expectativa é frustrada. O inglês atua sem energia, como se estivesse permanentemente sedado. Se isso é natural no início do filme, levando em consideração a situação familiar do personagem, passa a ser um defeito de interpretação quando a vida de Charles começa a desabar. Já Jennifer Aniston é uma atriz de TV que ainda não conseguiu se livrar dos cacoetes desta mídia (ou seja, a impostação exagerada e a afetação, mesmo quando tenta ser minimalista). Além disso, ela é prejudicada pelo personagem, que jamais é aprofundado pelo roteiro raso. Vincent Cassel, com inglês irrepreensível e boa desenvoltura, é a melhor peça do elenco.

O resultado final é um thriller insípido, sem personalidade, com diálogos fracos (preste atenção e verá que o candidato a casal jamais fala uma frase sequer que surpreenda a platéia), situações dramáticas exageradas e inverossímeis (que final é aquele?). “Fora de Rumo” ficou mais famoso nos EUA por ser a primeira produção dos irmãos Weinstein fora dos estúdios Miramax, que eles transformaram em uma casa respeitada e com fama de produtora ousada. Nesse caso, começaram com o pé esquerdo, já que “Fora de Rumo” não tem nada de ousado e parece mesmo, com o perdão do trocadilho com o título original, um trem descarrilado.

A Buena Vista lançou o filme em disco simples, com boa qualidade de imagem (widescreen anamórfico) e som (Dolby Digital 5.1). Os extras incluem galeria de cenas cortadas e um making of.

– Fora de Rumo (Derailed, EUA, 2005)
Direção: Mikael Håfström
Elenco: Clive Owen, Jennifer Aniston, Vincent Cassel, Melissa George
Duração: 109 minutos

| Mais


Deixar comentário