Império do Besteirol Contra-Ataca, O

24/02/2005 | Categoria: Críticas

Kevin Smith conta a mesma piada pela quinta vez e acaba cansando até os fãs de carteirinha

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★☆☆☆

Não estranhe o título: “O Império (do Besteirol) Contra-Ataca” é uma tentativa canhestra, por parte dos tradutores brasileiros, de imitar o nome original, “Jay e Silent Bob Strike Back”, que faz uma gozação com o segundo filme da trilogia original “Guerra nas Estrelas”. Gol contra da distribuidora Lumiere. Ao menos a referência à dupla de nerds mais famosa do planeta deve atrair os fãs tradicionais dos filmes de Smith.

O filme foi feito para o mesmíssimo público que curtiu os quatro trabalhos do cineasta (pela ordem de produção, “O Balconista”, “Barrados no Shopping”, o excelente “Procura-se Amy” e “Dogma”). Quem teve oportunidade de assistir a todos eles periga gostar muito e se deliciar com as dezenas (centenas?) de citações, referências pop, aparições-surpresa dos protagonistas dos outros longas e o surgimento de uma penca de atores consagrados, alguns interpretando a eles mesmos.

Isso se torna possível porque a trama do filme é a mais simplória do universo (alguns diriam idiota). A dupla nerd Jay e Silent Bob (Jason Mewes e Kevin Smith) descobre que um produtor esperto de Hollywood está produzindo um filme baseado nos quadrinhos de Bluntman e Chronic (referência ao gibi desenhado pelos protagonistas de “Procura-se Amy”). Por sua vez, esses super-heróis já tinham sido inspirados nos dois. Irritados por não terem sido consultados – e principalmente por não terem embolsado nada -, os dois decidem ir a Hollywood para impedir a realização do filme.

Basicamente, “O Império (do Besteirol) Contra-Ataca” pretende ser um road movie de baixíssimo orçamento. De certa forma, há nessa escolha uma referência escondida a “Dogma”, o filme anterior de Smith, que também se passava na estrada, só que no sentido geográfico inverso (dessa vez, a viagem é New Jersey-Los Angeles, do leste ao oeste dos EUA). Se o universo do longa é absolutamente familiar aos fãs de Kevin Smith, o conteúdo fica devendo muito aos melhores trabalhos do diretor, “O Balconista” e “Procura-se Amy”.

Sejamos honestos, fanáticos por quadrinhos e adoradores de Kevin Smith: “O Império (do Besteirol) Contra-Ataca” não passa de um caça-níqueis para arrancar dinheiro de fã – assim como foi a série animada de “O Balconista” e os DVDs lotados que extras estéreis que o cineasta lança. A conhecida “Trilogia de New Jersey” começou como filme único, virou trio quando este deu certo e já está na quinta obra. Apesar do cineasta afirmar que está aposentando de vez os personagens, não há quem acredite nisso. Smith está se tornando um especialista em filmar as mesmas piadas, trabalho após trabalho.

A rigor, o retrato fiel da geração pop culture que Kevin Smith tem o oferecer, a partir de uma visão satírica que parte de dentro do próprio fenômeno e não poupa nem a si mesmo, foi esgotado em “O Balconista” (a obra de estréia, cuja estética qualquer-enquadramento-serve dá de dez a zero nas obras posteriores). “Procura-se Amy”, o mais conhecido trabalho de Smith, apenas refina a mesma idéia com diálogos mais bem elaborados.

Depois disso, Smith relaxou. “Dogma” pretendia ser uma crítica à religião e esbarrou na compreensão superficial e unidimensional dos conceitos que pretendia criticar. Em “O Império (do Besteirol) Contra-Ataca”, pelo menos o cineasta não tenta enganar ninguém. Ele avisa que deseja apenas fazer uma comédia boba, inconseqüente, cheia de piadas de duplo sentido e referências pop – o mesmo que já havia feito em “Barrados no Shopping”, sua obra mais fraca.

Para fãs, há seqüências capazes de arrancar gargalhadas. A participação de Mark Hammill (Luke Skywalker em pessoa), travando um hilariante duelo de sabres-de-luz fake com Jay, pode provocar uma queda da cadeira. Personagens carismáticos, como Holden (Ben Affleck) e Banky (Jason Lee), ambos egressos de “Procura-se Amy”, são responsáveis por uma ponta de nostalgia. Para cada uma dessas cenas, porém, há um turbilhão de piadas grosseiras e sem graça. Sem atores de verdade, sem efeitos especiais e sem uma técnica decente, “O Império (do Besteirol) Contra-Ataca” passa em branco diante do turbilhão de bobagens que assolam as telas atualmente.

– O Império (do Besteirol) Contra-Ataca (Jay e Silent Bob Strike Back, EUA, 2001)
Direção: Kevin Smith
Elenco: Jason Mewes, Kevin Smith, Ben Affleck, Matt Damon
Duração: 120 minutos

| Mais


Deixar comentário