Kiss: Rock the Nation Live

17/01/2007 | Categoria: Críticas

Show completo gravado em 2004 preenche lacuna na videografia da banda de rock’n’roll

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★½☆☆

Fãs da banda Kiss sempre se ressentiram da existência, no mercado de home video, de um show completo da fase mascarada do grupo, com qualidade decente de som e imagem. O DVD duplo “Rock the Nation Live” (EUA, 2005) foi lançado pela banda para suprir esta ausência. O disco foi gravado em duas noites, em junho de 2004, e documenta, de maneira tecnicamente impecável, um espetáculo completo, com todo o aparato que fez o grupo famoso – ou seja, um palco enorme, telões a dar com o pau, fogos de artifício, confetes, números circenses. Há qualidades no lançamento, mas também alguns problemas.

A parte positiva compreende, além da ótima qualidade técnica do pacote, o repertório escolhido a dedo, que intercala alguns clássicos obrigatórios (“Love Gun”, “Rock and Roll All Nite”) com canções obscuras que o grupo raramente toca ao vivo (“Makin’ Love”, “Love Her All I Can”). Além disso, com a experiência de 35 anos na estrada, os integrantes oferecem uma performance segura, em que as caras e bocas – a pose de heróis de histórias em quadrinhos faz parte da mística do grupo – não atrapalham a execução das músicas.

Por outro lado, não há dúvida de que o timing da banda já passou, e faz muito tempo. Por mais que Paul Stanley, Gene Simmons, Eric Singer e Tommy Thayer (os dois últimos maquiados e vestidos como os demais integrantes da formação original, Peter Criss e Ace Frehley, respectivamente) se esforcem, em cima do palco, o show nunca decola realmente. É um espetáculo morno, calculado nos mínimos detalhes, e carece da espontaneidade e da energia primitiva que os shows dos primeiros anos da banda – especialmente no intervalo 1974-1977, apogeu do grupo – certamente tinham de sobra. “Rock the Nation Live” é, basicamente, um espetáculo para nostálgicos de carteirinha.

Tudo isso fica bastante evidente quando se observa a platéia, algo que a montagem do show privilegia bastante, pois não se passa um minuto sequer sem que as câmeras digitais de alta definição focalizem o público, formado basicamente por quarentões maquiados, crianças (geralmente filhos dos já citados balzaquianos) e garotas peitudas que estão por lá mais para mostrar o efeito do silicone e do bronzeamento artificial – aparentemente a diva de todas elas é Pamela Anderson – do que para ouvir música. É um público bem comportado, que assiste ao show carnavalesco com olhos fascinados, mas sentadinho nas cadeiras. Não existe a emoção e a selvageria que se espera de um verdadeiro show de rock’n’roll.

O DVD importado da Região 1 (EUA) é duplo e caprichado. O show está distribuído nos dois discos, e as canções vêm intercaladas com seis mini-documentários sobre os bastidores (encontro com fãs, passagem de som, sessões de maquiagem). A qualidade de imagem (fullscreen) e som (Dolby Digital 5.1) é ótima. Uma canção vem como bônus, a velha “Goin’ Blind”, além de trechos de ensaios e um livreto colorido cheio de fotos. E sete faixas podem ser vistas com o recurso multiângulo, através do qual o espectador faz sua própria edição de imagens, com o controle remoto, podendo passar toda a música enfocando apenas um dos integrantes, se desejar.

– Kiss: Rock the Nation Live (EUA, 2005)
Direção: Jonathan Beswick
Documentário/show de rock
Duração: 137 minutos

| Mais
Tags:


Deixar comentário