Maratona do Amor

23/10/2008 | Categoria: Críticas

Projeto de Simon Pegg é coleção de estereótipos de segunda categoria que provoca mais constrangimentos do que sorrisos

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★½☆☆

 O ator e roteirista Simon Pegg virou astro internacional ao colher elogios quase unânimes pelo híbrido humor/horror de “Todo Mundo Quase Morto” (2004), que co-escreveu e protagonizou. Na ocasião, ele chamou mais a atenção da mídia do que a outra metade do time criativo responsável pela produção – o diretor e também roteirista Edgar Wright. Juntos, os dois depois fizeram mais um híbrido interessante (a comédia de ação “Chumbo Grosso”), porém inferior. Wright mostrou ser mais esperto ao pular fora do projeto autoral seguinte de Simon Pegg: a comédia abestalhada “Maratona do Amor” (Run Fatboy Run, EUA, 2007), uma coleção de estereótipos de segunda categoria que provoca mais constrangimentos do que sorrisos. 

Sem Edgar Wright, o ator inglês arrumou outro parceiro para escrever o filme (Michael Ian Black, também ator) e foi em frente. Quem acabou na direção deste atoleiro de clichês foi David Schwimmer, conhecido do grande público pelo papel de Ross no extinto seriado “Friends”. Embora já tivesse dirigido alguns episódios da antiga série, Schwimmer nunca tinha estado à frente de um longa-metragem, o que piorou ainda mais a situação. O resultado final de tantos equívocos é um filme tremendamente desinteressante, povoado por personagens chatinhos e previsíveis, com uma trama sem pé nem cabeça e um exagero melodramático quase inaceitável no terceiro ato.

Acostumado a interpretar ingleses anônimos de classe média, Simon Pegg acaba se mostrando um dos poucos pontos positivos do filme ao interpretar Dennis, o protagonista. Segurança de uma loja de departamentos, ele leva uma vida bagunçada desde que cometeu a burrada de abandonar a noiva grávida (Thandie Newton) no altar, cinco anos antes. Pai ausente e comedor inveterado de junkie food, Dennis descobre que continua amando a ex-namorada ao descobrir que ela está prestes a se casar com um sujeito (Hank Azaria) que é o exato oposto dele: bonito, rico, atencioso com crianças e esportista nato. Pois bem: qual a melhor maneira de um homem feio, gorducho e grosseiro recuperar uma velha paixão, ainda mais nessas condições? Dennis acha que tem chance se conseguir completar uma maratona.

Como se vê, o principal problema é o roteiro. A situação dramática proposta pelo filme é simplesmente inaceitável. Desde quando o fato de correr 42 quilômetros algum dia ajudou um homem a reconquistar uma ex-namorada, ainda mais depois de ter feito a inaceitável estupidez de largá-la no altar com um barrigão de cinco meses? Para completar, o exagero melodramático da premissa consegue ser superado por outra situação, ainda mais inacreditável, que ocorre no terceiro ato (e que não vou revelar, para não estragar a surpresa de quem decidir ir em frente e encarar o filme). Recheando tudo isso, um monte de piadas requentadas que provoca risos amarelos (os treinos de Dennis para a maratona) e alguns personagens rasos, bobos e caricaturais, como o indiano proprietário do apartamento onde vive o protagonista e o melhor amigo dele, um desempregado viciado em jogo.

 

“Maratona do Amor” só não se transforma de vez em programa intragável porque Simon Pegg tem carisma e talento para humor, e consegue salvar algumas piadas do fracasso absoluto. Ademais, Hank Azaria interpreta um antagonista correto – desde a primeira aparição dele o espectador percebe certo quê de vulgaridade por baixo daquele ar de tranqüilidade superior – e a direção de David Schwimmer, mesmo sem trazer nenhuma novidade, mantém a trama nos eixos. Sejamos francos, porém: a pisada na bola foi feia e quebrou o encanto de quem considerava Simon Pegg um novo gênio da comédia cinematográfica.

O DVD nacional é da Playarte Filmes, e nem contém extras. O enquadramento original (widescreen anamórfico) está preservado, e o áudio tem seis canais (Dolby Digital 5.1).

– Maratona do Amor (Run Fatboy Run, EUA, 2007)
Direção: David Schwimmer
Elenco: Simon Pegg, Thandie Newton, Hank Azaria, Dylan Moran
Duração: 100 minutos

| Mais


Deixar comentário