Meninas Malvadas

27/12/2004 | Categoria: Críticas

Sátira leve reempacota convenções e clichês do filme de adolescente em filme interessante

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★☆☆

Comédias adolescentes que se passam em escolas secundárias nos Estados Unidos já se tornaram um gênero à parte, autônomo, com vida própria. Aliás, um dos gêneros mais artificiais, burros e sem graça que jamais existiram em Hollywood. Filmes desse tipo quase sempre tratam o espectador como idiotas semi-analfabetos, quase como se fossem clones das invariáveis loiras peitudas que interpretam rainhas de formatura (ou líderes de torcida, ou ambos) em 100% dos longas. Talvez por não levarem a sério o subgênero cômico, os críticos se surpreenderam com “Meninas Malvadas” (Mean Girls, EUA, 2004), uma rara obra que se dedica a satirizar os filmes de adolescentes.

Isso não significa que “Meninas Malvadas” seja uma obra-prima. Na verdade, analisando a película com frieza, não dá nem para dizer que ela seja realmente subversiva. Mas tem uma qualidade inegável: trata a platéia com dignidade. “Meninas Malvadas” é uma sátira leve, que não tem objetivos maiores do que reempacotar todas as convenções e clichês do subgênero (a aluna novata ingênua, a estudante gostosa que dá para meia classe, o nerd fã de Matemática, a gótica que pinta as unhas de preto e se isola na sala, as mães alienadas, os pais ausentes) para criticá-los. Funciona. Aleluia.

Cady Heron (Lindsay Lohan) é a aluna recém-chegada a um colégio rico nos arredores de Chicago. É a primeira vez que a menina vai freqüentar escolas, pois morava na África e era educada em casa. Dessa forma, ela é praticamente uma virgem, do ponto de vista do convívio social. Cady faz dois amigos na ala rejeitada da turma, Janis (Lizzy Caplan) e Damian (Daniel Franzese). No segundo dia, porém, ela chama a atenção das Plásticas, o trio de garotas gostosas que formam o grupo mais popular da escola. Convidada a andar com elas, Cady aceita, com o objetivo de descobrir segredos das loiras para permitir aos verdadeiros amigos uma vingança contra a malvada Regina George (Rachel McAdams).

Ocorre que, no processo de aproximação das lindas cabecinhas ocas, Cady estabelece uma estranha relação de empatia com Regina, mesmo quando esta lhe rouba o novo paquera, Aaron (Jonathan Bennett). Sem perceber, ela começa a se tornar uma Plástica, apesar de odiar os valores artificiais que elas adotam. O cineasta Mark Waters se sai bem na tarefa de transformar em filme a trajetória de Cady. À medida que “Meninas Malvadas” vai se aproximando ao final, o público pode adivinhar como a aventura vai terminar, mas não é o resultado final que importa, e sim a maneira diferente que o roteiro trilha até chegar lá.

O maior mérito de “Meninas Malvadas” é da roteirista, Tina Fey, figurinha carimbada do elenco do humorístico Saturday Night Live. Ela interpreta a professora de Matemática das garotas. Tina parte de um pressuposto sólido – a sátira do filme de adolescente – e realiza um verdadeiro compêndio dos clichês que assolam esse gênero de filme. Sim, existe a “menina patinho feio”, que parece horrorosa mas acaba virando bonitinha há no decorrer da trama. A mãe de Regina é uma perua cujos seios siliconados parecem duas rochas pontiagudas. O tom caricatural e exagerado que cada personagem assume contribui para tornar evidente a sátira.

Se “Meninas Malvadas” tem a âncora no roteiro, o capitão da embarcação está na figura de Lindsay Lohan. Aos 17 anos, a atriz exibe uma segurança e uma naturalidade que não são comuns nas comédias adolescentes. Lindsay faz a diferença e cai como uma luva no papel. Repare nas cenas de paquera e perceba como ela interpreta sem parecer artificial ou deslocada. Sua simpatia ajuda o longa-metragem a superar a barreira do lugar comum. Ela certamente tem muita culpa na ótima performance de bilheteria (mais de US$ 85 milhões nos EUA) e de crítica que a produção logrou alcançar.

Se você vai assistir a “Meninas Malvadas” em DVD, é bom saber que a versão brasileira para locação contém apenas o filme, com som e imagem de boa qualidade, mas sem material extra.

– Meninas Malvadas (Mean Girls, EUA, 2004)
Direção: Mark Waters
Elenco: Lindsay Lohan, Rachel McAdams, Lacey Chabert, Tina Fey
Duração: 97 minutos

| Mais


Deixar comentário