Minha Super Ex-Namorada

17/01/2007 | Categoria: Críticas

Comédia romântica calibrada para não ofender puritanos aborda a vida sexual dos super-heróis

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★½☆☆

Todo fã de quadrinhos já se fez uma pergunta pelo menos uma vez na vida: como será que um super-herói de força e agilidade descomunais, tipo Super-Homem ou Elektra, faz sexo? Existem piadas sobre isso, mas os gibis são curiosamente tímidos no que se refere a sexo. Chega a ser surreal que até “Minha Super Ex-Namorada” (My Super Ex-Girlfriend, EUA, 2006) nenhum longa-metragem tenha pensado em providenciar a resposta para a dúvida. Pois a comédia romântica com Uma Thurman (“Kill Bill”) e Luke Wilson (“Os Excêntricos Tenenbaums”) encerra a questão, em uma das cenas mais engraçadas do filme.

Dirigido pelo veterano Ivan Reitman, que fez “Os Caça-Fantasmas” em 1994 e estava há cinco anos sem filmar, o longa-metragem promete tirar um sarro com o universo adolescente quase assexuado dos super-heróis, mas não cumpre a promessa. De fato, não passa de uma brincadeira bem-comportada estilo “guerra dos sexos”. Embora esteja construído em cima de uma idéia promissora, falta-lhe irreverência e espírito jovem para levar essa idéia às últimas conseqüências. Ou seja, trata-se de uma produção inteligente, mas calibrada para o público médio e cuidadosamente construída para não chocar ou ofender os mais puritanos.

O filme é narrado do ponto de vista de um homem. Ele é o arquiteto Matt Saunders (Luke Wilson), sujeito tímido, desses que tem dificuldades para abordar uma garota dentro de um metrô lotado. Um dia, à custa de muito esforço, acaba acontecendo. Ele conhece a bibliotecária Jenny (Uma Thurman) e os dois se apaixonam. O que Matt não sabe é que Jenny é a identidade secreta da heroína G-Girl, uma versão feminina do Homem de Aço, que apaga incêndios com um sopro e desvia mísseis com chutes nos céus de Nova York. Até aí, tudo bem. O problema é que, além de ter superpoderes, Jenny também é uma mulher ciumenta e carente. E não demora para que Matt fique incomodado com isso.

Uma das qualidades do longa-metragem é a escolha do elenco. Luke Wilson, por exemplo, é um ator inexpressivo, sem um décimo do charme e carisma do irmão Owen (“Penetras Bons de Bico”), mas encaixa perfeitamente no personagem, já que Matt é um cara comum, do tipo que passa despercebido até em uma sala deserta. Uma Thurman, que vem passando por uma fase devotada às comédias românticas (“Terapia do Amor”, com Meryl Streep), é uma atriz completa, e mostra isso encarnando duas facetas bem diferentes da mesma mulher. Jenny é tão desconfiada e ciumenta que até parece feia; já G-Girl é a deusa loira de sorriso deslumbrante que Uma sabe interpretar como ninguém.

Por outro lado, a galeria de personagens secundários é absolutamente trivial. Neste tipo de filme, por exemplo, é obrigatório que o protagonista tenha um melhor amigo, e que ele seja engraçadinho; aqui esse personagem se chama Vaughn (Rainn Wilson) e chega a ser irritante de tão artificial. Além disso, a cena em que Matt revela ao amigo que vem transando com a G-Girl é uma das mais previsíveis do cinema norte-americano em muito, muito tempo. Há também aqueles personagens forçados, sem nenhuma razão dramática, incluídos apenas para participar de uma ou duas piadas, como a chefe de Matt (Wanda Sykes), que pega no pé dele por duas vezes e depois some de cena.

Uma boa idéia desperdiçada é a criação de um super-vilão (Eddie Izzard) que rivaliza com a G-Girl. Infelizmente, o personagem jamais é desenvolvido, de forma que jamais parece ser realmente perigoso, nem para Matt e nem para ninguém. Para completar, mais ou menos na metade do filme o público já consegue antecipar o final sem muito esforço (ou seja, quem vai acabar com quem, e porquê). Pelo caminho, há uma ou outra seqüência interessante, como a já citada cena de sexo. Porém, a melhor coisa de “Minha Super Ex-Namorada” chama-se Anna Faris, atriz que interpreta Hannah, colega de trabalho de Matt. Ela é bonita, tem carisma e rouba a cena sempre que surge.

O lançamento em DVD é da Fox. O disco é simples e traz o filme com boa qualidade de imagem (widescreen anamórfica) e áudio (Dolby Digital 5.1). Não há extras.

– Minha Super Ex-Namorada (My Super Ex-Girlfriend, EUA, 2006)
Direção: Ivan Reitman
Elenco: Luke Wilson, Uma Thurman, Anna Faris, Eddie Izzard
Duração: 110 minutosRod

| Mais


Deixar comentário