Noite Alucinante, Uma

14/06/2006 | Categoria: Críticas

Continuação de filme de horror de 1981 tem mais humor e menos originalidade

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★½☆

O ano era 1981. Um estudante de cinema, sem dinheiro mas cheio de idéias, financiou do próprio bolso um filme de horror bem sanguinolento, cheio de efeitos toscos que misturavam animação em stop motion com pedaços de cadáveres de borracha. O filme foi adotado por uma pequeno mais ruidoso séqüito de fãs e colocou o tal estudante no mapa dos grandes estúdios. Foi assim que nasceu Sam Raimi, cineasta que ficaria famoso mundialmente após fazer do Homem-Aranha um dos heróis mais populares do cinema. Para os cinéfilos, contudo, Raimi foi, é e sempre será o cara que inventou a série “Evil Dead”.

O segundo volume da franquia, “Uma Noite Alucinante” (Evil Dead II, EUA, 1987), é o mais famoso e mais valorizado dos três filmes. A culpa é do roteiro alucinado, sem qualquer preocupação com lógica ou nexo, que parte da mesma situação apresentada no filme de 1981, só que em tom ligeiramente diferente. Ao coquetel de cenas de violência bem gráficas e exageradas, Raimi acrescentou uma dose generosa de humor satírico, quase surreal. “Uma Noite Alucinante” tem duas ou três boas seqüências, mas repete tantas idéias do filme nº 1 da franquia que perde o frescor e o tom sincero de originalidade que “A Morte do Demônio” possuía.

De fato, a idéia inicial de Sam Raimi era realizar uma continuação típica do primeiro filme, mantendo apenas o personagem principal, Ash (Bruce Campbell). Ao desenvolver o roteiro, porém, Raimi se deparou com dificuldades. Para começar, como a segunda parte da franquia seria um filme bem maior e atingiria um público que desconhecia o longa de 1981, o diretor decidiu que precisava utilizar flashbacks para refrescar a memória do público a respeito dos acontecimentos passados. Mas os direitos de “A Morte do Demônio” não lhe pertenciam mais. A solução escolhida por Raimi foi utilizar os primeiros 20 minutos da nova produção para efetuar uma espécie de refilmagem resumida da aventura original.

Assim, o cenário é o mesmo: uma cabana semi-abandonada no meio de uma floresta sinistra. Ash aparece por lá com a namorada Annie (Sarah Berry), para um final de semana romântico, mas descobre um gravador antigo que contém um feitiço para conjugar demônios da natureza. Ao ouvir a fita, Ash libera os espíritos, e o sangue começa (literalmente) a espirrar. Uma boa sacada do cineasta foi manter a duração do filme curta, com menos de 90 minutos, o que lhe permitiu comprimir a ação e torná-la mais frenética, alucinada mesmo.

Se a decisão faz o ritmo ficar uniforme demais, o que elimina a tensão obrigatória em narrativas de horror, por outro lado os generosos toques cômicos – que ficam mais e mais abundantes à medida que o filme caminha – mantêm o público ligado na história o tempo todo. Muitas idéias presentes em “A Morte do Demônio” são reaproveitadas, como o estupro cometido por árvores, a cabeça decepada que fala e a marca registrada da série: a câmera subjetiva que corre por entre as árvores do bosque, dando à platéia o ponto de vista dos demônios.

O ponto alto de “Uma Noite Alucinante” é a hilariante seqüência em que um dos espíritos da floresta encarna na mão direita do herói e passa a atacá-lo com pratos, pedaços de pau e tudo o que consegue encontrar pela frente. Bruce Campbell – co-produtor e sócio de Raimi que jamais conseguiu outro papel de destaque no cinema – não é bom ator, mas dá conta do recado, especialmente nos momentos mais engraçados. De resto, a imaginação sem limites do diretor, que inclui criaturas de stop motion parecidas com girafas alienígenas e até uma viagem no tempo, garante a diversão.

O DVD brasileiro, lançado pela Universal, não tem extras. O filme preserva o enquadramento original (widescreen 1.85:1 anamórfico) e tem som apenas razoável (Dolby Digital 1.0). Nos EUA, os direitos pertencem à Anchor Bay, que lançou uma edição especial com comentário em áudio, documentário, pôster e livreto colorido com 48 páginas sobre o filme.

– Uma Noite Alucinante (Evil Dead II, EUA, 1987)
Direção: Sam Raimi
Elenco: Bruce Campbell, Sarah Berry, Dan Hicks, Kassie DePaiva
Duração: 85 minutos

| Mais
Tags:


Assine os feeds dos comentários deste texto


2 comentários
Comente! »