Nova Transa da Pantera Cor-de-Rosa, A

04/11/2008 | Categoria: Críticas

Da animação na abertura ao final literalmente hilariante, quarto exemplar da série com o atrapalhado inspetor francês é brilhante

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★★☆

Uma das convenções mais recorrentes entre cinéfilos garante que o primeiro filme de uma franquia de sucesso é sempre o melhor. “A Nova Transa da Pantera Cor-de-Rosa” (The Pink Panther Strikes Again, EUA, 1976), quarto exemplar da série com o atrapalhado inspetor francês cujas investigações tresloucadas sempre acabam bem, é uma exceção que confirma a regra. Desde a genial animação que parodia grandes sucessos do cinema, na abertura, até o hilariante confronto entre o protagonista e seu arquiinimigo, no terceiro ato, o longa-metragem está recheado de momentos engraçados que fazem deste, se não o mais bem narrado, certamente o mais divertido exemplar da franquia.

Na verdade, a produção tinha tudo para dar errado. A produção foi iniciada às pressas, graças ao sucesso de “O Retorno da Pantera Cor-de-Rosa”, feito no ano anterior. Sob pressão para poder cumprir os prazos, o diretor Blake Edwards usou um roteiro que havia sido escrito visando uma futura série de TV, e que inclusive não continha nenhuma referência ao diamante denominado Pantera Cor-de-Rosa, o que teoricamente deveria obrigar a mudança no título (o público, porém, já identificava a expressão com o impagável inspetor Clouseau, e por isso ninguém reclamou). Além disso, o cineasta e o ator principal, que já enfrentava os problemas cardíacos que o matariam quatro anos mais tarde, brigaram feio e pararam de se falar durante as filmagens. Por tudo isso, é bem impressionante que Edwards e Sellers tenham conseguido produzir um dos filmes mais interessantes das carreiras de ambos.

O maior de todos os acertos consistiu na promoção de um coadjuvante da série, o inspetor Dreyfus (Herbert Lom), ao papel de antagonista. No filme anterior, Dreyfus entrara em conflito diversas vezes com Clouseau, sempre rendendo momentos engraçados. Por isso, a ampliação das aparições do antigo chefe da polícia francesa, agora confinado num hospício após desenvolver tendências homicidas, graças às doidices do antigo subordinado, proporciona a chance para que Blake Edwards explore melhor a química impecável entre Herbert Lom e Peter Sellers. Esta química fica evidente logo na primeira cena entre ambos, quando Clouseau vai visitar Dreyfus na clínica de reabilitação em que este se recupera.

Sempre provocando confusões, Clouseau estraga cinco longos anos de tratamento, em diálogos repletos de comédia física que rendem gargalhadas à platéia. Depois de ver recusada a chance de sair do hospício e enlouquecer de vez, Dreyfus foge do lugar, rapta um famoso cientista e, munido de uma invenção potencialmente destruidora, chantageia os principais líderes internacionais para que estes mandem matar Clouseau, ou o planeta será literalmente varrido do mapa. É claro que o próprio inspetor atrapalhado vai liderar os esforços para capturar o maluco, utilizando alguns dos disfarces mais criativos de todos os filmes da série (a cena do corcunda de Notre Dame é particularmente engraçada) em uma trama repleta de momentos cômicos de alto calibre.

Pelo menos três longas seqüências são momentos cinematograficamente brilhantes: a tentativa fracassada que 26 assassinos profissionais fazem simultaneamente para matar Clouseau em uma festa, a confusão sexual envolvendo uma espiã russa (Lesley-Anne Down) no quarto do hotel, e o atendimento dentário no castelo do vilão. Esta última cena é, literalmente, hilariante. Embora as cenas sejam filmadas às vezes de modo meio desleixado, com o diretor Blake Edwards criando variações de momentos cômicos que deram certo em filmes anteriores da série (as brigas com o mordomo, os disfarces, os erros de gramática), as piadas e a performance sempre afiada de Sellers e Lom garantem diversão ininterrupta.

O DVD nacional leva o selo da Fox e não contém extras. A imagem tem enquadramento original preservado (widescreen 2.35:1 anamórfico) e áudio em seis canais (Dolby Digital 5.1).

– A Nova Transa da Pantera Cor-de-Rosa (The Pink Panther Strikes Again, EUA, 1976)
Direção: Blake Edwards
Elenco: Peter Sellers, Herbert Lom, Lesley-Anne Down, Burt Kwouk
Duração: 103 minutos

| Mais


Deixar comentário