Segredo do Abismo, O

12/11/2004 | Categoria: Críticas

Edição do diretor dá mais consistência a uma aventura subestimada de James Cameron

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★½☆

Ao contrário do que muita gente pensa, “Titanic” não foi a primeira incursão de James Cameron pelo mundo submarino. Antes de virar “Rei do Mundo” e fazer o épico mais rentável da história do cinema, o diretor teve uma experiência parcialmente bem sucedida que pavimentou o caminho da superprodução de 1997. “O Segredo do Abismo” (The Abyss, EUA, 1989) contém uma mistura grandiloqüente de aventura, suspense e ficção científica, mas é tudo verniz. Cameron prova, talvez definitivamente, que no fundo (sem trocadilhos) é um romântico de carteirinha.

“O Segredo do Abismo” fez bonito nos cinemas, mas poderia ter se saído ainda melhor se a Fox tivesse tido a coragem de manter o corte original do filme, com quase três horas de duração. Em 1989, no entanto, a duração foi considerava excessiva, especialmente porque James Cameron era apenas um diretor promissor, não um visionário reconhecido. O estúdio, então, impôs um corte. O cineasta fez uma opção polêmica e bastante radical, eliminando toda uma subtrama que ocorre perto do final, exatamente junto ao clímax. O corte deixou o filme oco, sem intensidade emocional, como um crescendo que de repente perde a força e se dissipa, sem fazer a platéia vibrar.

Na versão original, de 174 minutos, “O Segredo do Abismo” é um filme muito bom, uma aventura com pitadas de espiritualismo de estrutura narrativa clássica, conduzido sem pressa e inserindo doses homeopáticas de ação tensa e frenética na trama. Bud Brigman (Ed Harris) é um experiente mergulhador de altas profundidades cuja plataforma submarina é requisitada pela Marinha dos EUA para resgatar um submarino nuclear que sofreu um acidente no fundo do oceano. Ele lidera a viagem de resgate, mas precisa levar com ele a mulher, Lindsey (Mary Elisabeth Mastrantonio), com quem está rompido. Uma tropa de militares comandada pelo soturno tenente Coffey (Michael Biehn) acompanha o mergulhador.

À medida que o veículo vai atingindo as profundidades abissais, eventos estranhos começam a ocorrer, indicando que o sumiço do submarino nuclear pode ser parte de uma ocorrência muito mais complexa do que parecia no início. James Cameron mostra qualidade na direção. Ele sabe conduzir com perícia o enredo entre as escalas íntima (a dor da separação de Bud, que ainda ama a esposa) e gigantesca (são muitas, e bem espaçadas, as seqüências eletrizantes de ação submarinas). A fotografia espetacular de , com tomadas submarinas de tirar o fôlego (literalmente), dá ao filme um visual impecável, estonteante.

A chave de ouro de “O Segredo do Abismo” está na edição especial do diretor. É o mesmo filme, mas os 28 minutos de cenas a mais amplificam o conflito íntimo de Bud e dão mais consistência à decisão aparentemente desatinada que ele toma perto do final. Além disso, brindam o espectador com um final épico, uma antecipação espetacular do que o mundo veria em “Titanic”.

A Fox lançou no Brasil duas versões de “O Segredo do Abismo” em formato digital. Uma é dupla, a outra simples. A segunda, mais barata, não é nada mais do que o disco 1 da versão dupla, vendido separadamente. O pacote completo vale a pena: trata-se de um dos primeiros DVDs a explorar de forma satisfatória todas as possibilidades do formato.

O disco 1 tem duas versões do filme. A primeira, com 141 minutos, é a mesma exibida nos cinemas, em 1989. A segunda contém 28 minutos a mais. Nos dois casos, o consumidor pode acessar um comentário em texto (legendas) com informações sobre a produção. A trilha de áudio é Dolby Digital 51, foi remasterizada e possui volume e densidade. O corte widescreen, original, foi preservado. Preste atenção nos menus animados, que simulam o interior da nave submarina e é muito criativo.

O disco 2 praticamente não tem fim. O prato principal é o documentário “Under Pressure” (59 minutos), feito em 1992. Ele detalha todo o processo de filmagem, realizada em um tanque gigante coberto de bolinhas de isopor (para bloquear a luz do sol e dar a impressão de grande profundidade). Um segundo documentário (10 minutos) repassa os principais detalhes. Existe uma extensa galeria de trailers e pelo menos quatro featurettes de, em média, 5 minutos cada. Uma galeria de 1450 fotos e 773 storyboards (!), navegável, completa o pacote, junto com uma versão do roteiro para imprimir ou ler na tela.

– O Segredo do Abismo (The Abyss, EUA, 1989)
Direção: James Cameron
Elenco: Ed Harris, Mary Elisabeth Mastrantonio, Michael Beihn
Duração: 146 minutos (versão curta), 174 minutos (versão longa)

| Mais


Assine os feeds dos comentários deste texto


2 comentários
Comente! »