Simpsons, Os – 1ª Temporada

27/09/2003 | Categoria: Críticas

Caixa com três DVDs reúne treze primeiros episódios do desenho e algumas raridades que só passaram na TV dos EUA

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★★☆

Pergunta ao leitor: será que uma personalidade fictícia, que não existe em carne e osso, merece ser considerada uma das 100 mais importantes do século XX? A norte-americana Time, mais respeitada publicação impressa do planeta, acha que sim. Há dois anos, quando a revista esmiuçou o século de maior avanço tecnológico da História, um personagem de cartoon estava lá, entre Albert Einstein, Picasso e Gandhi. Pior, era um garoto de 10 anos, travesso e sem papas na língua, chamado Bart Simpson. O desenho animado mais famoso da TV cravava um representante entre os nomes mais influentes do mundo atual.

A novidade é que os Simpsons não existem mais apenas na televisão. O quinteto assumiu de vez um papel de destaque na cultura de massa, com o lançamento da caixa tripla de DVDs com a primeira temporada norte-americana. O produto reúne os treze episódios exibidos nos EUA no ano de 1990. A caixinha chega às lojas brasileiras munida de vários recordes impressionantes de vendagens no formato digital. Ao todo, foram 65 mil cópias no dia de lançamento nos EUA, número que cresceu para 130 mil na primeira semana. Na Inglaterra, 20 mil caixas foram vendidas em sete dias. Já os alemães compraram 21,6 mil discos pela Internet, antes mesmo que o lançamento chegasse às lojas.

Os números se juntam a uma série de recordes que o desenho tosco criado pelo norte-americano Matt Groening já ostentava apenas com a exibição televisiva. No dia 14 de janeiro de 1990, quando o episódio inaugural, “O Prêmio de Natal”, foi exibido pela primeira vez, 24 milhões de espectadores acompanharam a transmissão, um número até hoje imbatível para uma estréia na TV americana. O seriado tomou de “Os Flintstones” o cetro de desenho animado que está há mais tempo no horário nobre da TV e já emplacou a décima-quarta temporada, algo nunca alcançado por outra série, animada ou não. Não há previsões do fim das peripécias dos sujeitos amarelos.

No caso do DVD, o sucesso se justifica porque a caixinha consegue equilibrar qualidade com preço razoável (pelo menos para os padrões dos norte-americanos). Como a primeira temporada de desenhos foi mais curta que o habitual, a caixa saiu com apenas três discos. Mesmo assim, são quase seis horas e treze aventuras com imagem e som restaurados, além de uma penca de extras que vai deliciar os colecionadores e fãs. Uma coisa deve ser dita: na primeira temporada, a crítica ao american way-of0life ainda não era tão cínica e divertida quanto viria a se tornar depois. Mas há excelentes episódios, como “As Vinhas da Ira” (Bart vira escravo numa vinícola francesa) e “Bart, O Gênio” (o guri vai para um colégio de superdotados).

Mais animador é o fato de a Fox não ter deixado os brasileiros de mãos abanando. Todos os episódios da caixinha possuem áudio dublado em português com as vozes originais da série, em trilhas razoáveis de dois canais digitais. Os menus também podem ser vistos na língua pátria. Todos os extras possuem legendas em português, com a exceção lamentável dos comentários em áudio – e é importante lembrar que os mais importantes países de língua não-inglesa, como França, Itália, Espanha e Alemanha, ganharam essas legendas. Por mais que se tente disfarçar, o Brasil ainda é Terceiro Mundo.

De qualquer forma, os fãs mais ardorosos vão poder vibrar com raridades com o especial “Boa Noite Simpsons”, uma história de três minutos exibida no programa de variedades Tracey Ullman Show, onde os Simpsons surgiram pela primeira vez. Há um documentário curtinho com entrevistas do criador Matt Groening sobre o surgimento da família, pelo menos 35 imagens raras que mostram o desenvolvimento visual dos personagens e mais quatro roteiros originais, com as notas do próprio Groening. Para quem curte o programa, material básico.

– Os Simpsons – 1ª Temporada
Direção/produção: Matt Groening

| Mais


Deixar comentário