Simpsons, Os – 2ª Temporada

30/09/2003 | Categoria: Críticas

Caixa reúne 22 episódios e dois documentários sobre processo de produção do melhor desenho da TV norte-americana

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★★☆

O projeto mais recente do cartunista Matt Groening, o criador dos Simpsons, continua de pé e rende rios de dinheiro. Esse projeto é o lançamento de todas as temporadas da criação mais famosa em DVD. A idéia era lançar as doze temporadas, em caixas de luxo, em intervalos de seis meses. A primeira fez um sucesso tão grande que se refletiu no lançamento mundial da segunda. Até no Brasil, onde os Simpsons não são exatamente um fenômeno popular, as lojas e locadoras receberam o lançamento simultaneamente aos EUA. “Os Simpsons – 2ª Temporada” é um box bem salgado, mas vale cada centavo.

Os 22 episódios da temporada de 1990/1991 foram distribuídos em quatro discos. Como ocorreu no lançamento anterior, as trilhas de áudio foram devidamente remixadas para ocupar seis canais. Os brasileiros podem assistir aos desenhos com a dublagem original e legendas ou, se preferirem, com vozes nacionais. Quase todos os episódios ganharam comentários em áudio de Groening e/ou algum produtor ou roteirista. Há ainda dois bons documentários e um punhado de pequenos featurettes escondidos.

A melhor novidade, porém, fica por conta da própria qualidade dos desenhos. É quase consenso entre os fãs do quinteto morador de Springfield que a primeira temporada era uma das mais fracas entre todas. De fato, apesar de ter alguns episódios interessantes, os desenhos ainda pareciam rascunhos, os melhores coadjuvantes (como o Sr. Burns, o dono da usina nuclear onde Homer trabalha) ainda não estavam bem desenvolvidos e os roteiros pareciam hesitar diante das possibilidades de sátira a família norte-americana, que se tornaria a marca registrada e o grande charme do desenho nos anos subsequentes.

Já a segunda temporada possui tudo isso. Não por acaso, é um dos momentos favoritos da cronologia televisiva do seriado, segundo o próprio autor. Groening assina um texto na luxuosa embalagem de papelão e diz, sem muitos rodeiros, que alguns dos momentos que lhe dão mais orgulho na série estão entre os 22 episódios. Ele tem razão. O tratamento visual parece realmente mais bem acabado, e a análise crítica do consumismo norte-americano dessa vez pega bem mais pesado. São os Simpsons na plenitude dos seus poderes.

Entre os episódios, eu tentaria destacar aquela porção que vai mais longe na acidez das críticas. Como “Simpson e Dalila”, que critica a importância da aparência pessoal no mercado de trabalho dos EUA (Homer usa um remédio para deixar o cabelo crescer e recebe uma promoção de imediato). Ou “Comichão, Coçadinha e Marge”, que aborda o problema da violência na TV (Marge acerta uma martelada em Homer após assistir a um episódio de desenho animado). “O Peixe de Três Olhos” (pressionado por fiscais a fechar a usina nuclear, o senhor Burns decide se candidatar a governador) e “Homer Contra Lisa e o Oitavo Mandamento” (Lisa fica com dor de consciência e se recusa a assistir a TV a cabo que Homer adquiriu ilegalmente).

No quarto disco, além dos últimos episódios, o espectador também vai encontrar os dois melhores documentários sobre os Simpsons que estão no mercado. O primeiro, de dez minutos, traz entrevistas com Groening e o produtor James Brooks, e aborda detalhadamente o processo de criação dos personagens (você fica sabendo, por exemplo, que Homer é o nome do pai do cartunista). O segundo documentário tem oito minutos e explica passo a passo como é produzido um episódio – um processo que leva até dez semanas e envolve desenhistas nos EUA e na Coréia.

– Os Simpsons – 2ª Temporada (EUA, 1990/1991)
Direção/produção: Matt Groening

| Mais


Deixar comentário