Sonhos na Casa da Bruxa

29/01/2006 | Categoria: Críticas

Episódio de Stuart Gordon de telessérie resgata velha história de bruxaria e se leva a sério

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★½☆☆

Histórias de bruxas representam um filão menor do cinema de horror. Muito popular na fase de ouro de pequenas produtoras especializadas em filmes atmosféricos, como a Hammer, na Inglaterra dos anos 1960, esse gênero perdeu público com o passar do tempo. Para um fã de longa data, é um prazer poder conferir um retorno à narrativa clássica do filão em “Sonhos na Casa da Bruxa” (Dreams in the Witch-House, EUA, 2005), episódio da série de telefilmes “Mestres do Terror” dirigido por Stuart Gordon. O filme não traz novidades, mas resgata elementos típicos desse tipo de filme com alguma vitalidade.

O diretor é um nome pouco conhecido entre pessoas não familiarizadas com o cinema de horror B, mas aficionados vão lembrá-lo como o pai da série “Re-animator”, criada em meados da década de 1980. Gordon é o cineasta que mais adaptou as histórias macabras do mestre do horror H.P. Lovecraft para o cinema. E, na verdade, “Pesadelo Mortal” também foi inspirado num conto do romancista, caracterizando-se como a quarta obra de Lovecraft levada às telas por Stuart Gordon.

“Sonhos na Casa da Bruxa” é o mais curto dos telefilmes da série, tendo pouco menos do que 50 minutos, e por isso possui uma narrativa rápida, simples e direta, sem enfeites ou gorduras desnecessárias. A história traz como protagonista um estudante (Ezra Godden) à procura de uma pensão barata que fique perto da universidade onde ele estudará. Ele encontra um lugar que aluga quartos a um preço decente, mas logo descobre que o casarão tem fama de ser mal-assombrado, por ter servido de moradia a uma suposta bruxa, muitos anos antes.

Ao se mudar para a nova morada, o rapaz, cuja pesquisa envolve uma equação matemática capaz de possibilitar o acesso a universos paralelos, começa a ter sonhos assustadores. “Sonhos na Casa da Bruxa” é um filme de horror que se leva a sério, e não possui, ao contrário de vários outros episódios da telessérie, nenhuma pitada de humor. Por outro lado, investe na construção de uma atmosfera surreal, através do uso de elementos tradicionais do gênero: muita nudez feminina, cenas de violência explícita (a mais perturbadora é a que mostra um mulher arranhando as costas do coitado com as unhas) e delírios surrealísticos (um rato com rosto humano, que tal?). Não traz grandes novidades, mas é bem dirigido e tem potencial para agradar os fãs do gênero.

O DVD brasileiro ganha lançamento pelas mãos da Paris Filmes. A qualidade geral é fraca. O disco é simples e traz o filme com o enquadramento original de imagem (letterbox 4:3, que preserva o formato 1.77:1), com áudio em dois canais (Dolby Digital 2.0). Como extra, um making of. A decepção é maior quando sabemos que a Anchor Bay preparou uma edição bem mais recheada para os Estados Unidos, trazendo o vídeo em formato wide anamórfico (que também preserva o enquadramento original e tem resolução melhor da imagem), som em seis canais (Dolby Digital 5.1) e uma série de extras, incluindo comentário em áudio do diretor, perfil do autor do filme, entrevistas com os atores e cenas cortadas.

- Sonhos na Casa da Bruxa (EUA, 2005)
Direção: Stuart Gordon
Elenco: Ezra Godden, Susan Bain, Jay Brazeau, Anthony Harrison
Duração: 50 minutos

| Mais

GOSTOU DO FILME? DÊ SUA NOTA

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Ninguém votou neste post... ainda.)
Loading ... Loading ...


Deixar comentário