Homem que Luta Só, O

10/08/2009 | Categoria:

Uma das últimas parcerias de Budd Boetticher com Randolph Scott é western perfeito da primeira à última cena

Por: Rodrigo Carreiro

NOTA DO EDITOR: ★★★★★

Western clássico. Budd Boetticher, 1959. Um dos sete filmes em parceria com Randolph Scott, esse último sempre interpretando caçadores de recompensa vingando a morte da esposa.

O cenário aqui é o deserto. O esquema de cores meio ridículo aos olhos de hoje (a camisa rosa da mulher, a vermelha do bandido, muitos verdes e amarelos explosivos), mas o filme é fantástico. Um dos melhores de Boetticher, e olha que o cara só fez filme bom!

Cenários super-bem usados, o cenário rochoso da abertura ao set maravilhoso e circular da árvore dos enforcados no final. Aliás, excelente duelo! Influenciou os filmes de Sergio Leone na década seguinte.

É curto, sem psicologismos, tem pouco humor (é mais amargo do que o habitual para o diretor). Para os padrões atuais, os índios não parecem índios (pinturas de guerra bem fake). Mas não se pode esquecer que este é um western B. Orçamento minúsculo.

Trecho do ataque dos índios no deserto (proteção em um rancho abandonado) muito bem encenado. Poucos takes, tudo em planos gerais, cavalos caindo, tudo de verdade, sem truques de edição.

Elenco muito bom nos seus papéis, a mulher é linda. O quase-vilão é muito legal, quase rouba o filme. O quase-duelo no final é meio previsível (ah, os códigos…) mas funciona. A última imagem da árvore e chamas é poderosa. E os destinos dos personagens, perfeito.

| Mais


Assine os feeds dos comentários deste texto


7 comentários
Comente! »